Sentença de Morte (Death sentence)


Oscilamos. Às vezes queremos fazer várias coisas de uma só vez, mesmo que sejam extremamente distintas. Por vezes, nos arrependemos de algo que fizemos sendo que o pior é quando deixamos de fazer. Poderia ‘’Sentença de morte’’ usar tão boa idéia que iria distinguir dos demais filmes enxutos de vingança: o lado realmente humano, mas sem fantasiar.

Com um roteiro incoerente, principalmente envolvendo a mudança de personalidades, algo que é essencial onde se relaciona vingança. Nick Hume ousa ao livrar o assassino do próprio filho de ser condenado, ao saber que o mesmo passaria apenas alguns anos e não teria o que merecia: a morte. Entusiasmamos espectadores, pois o personagem parece que cresce, mas a cara de bunda permanece. Rimou!

Mata, mas esbugalha os olhos e assusta-se com tal atitude saída de sua pessoa. A cara de quem gozou e se arrependeu foge da lógica de quem não testemunhou contra o assassino, para devolver na mesma moeda. É broxante e irritante. Poderia o roteiro manter a coerência dessa matança ‘’sem querer’’, mas, Nick, após debulhar lágrimas diante do filho deitado, e desacordado, numa cama de hospital, levanta com um olhar cheio de razão ao horizonte. Hume não é mais o mesmo. E a platéia: oohhh! (...) Vai lá, dispensável.

Temos atuações também variadas. Normais continuam ‘’normais’’, com um ou outro momento bom (Kevin Bacon) outros permanecem indo e voltando do razoável para o ruim, querendo um dia ser bom (Aisha Tyler) e outros que já são horrendos por natureza (A gangue toda). Kevin Bacon ainda não sem encontrou, assim como em ‘’O Lenhador’’, cujo obtêm uma única cena digna (a da conversa com a menina no banco de um bosque) aqui, realmente não consegui identificar, embora tenha chegado perto muitas vezes. Aisha Tyler, com enchimento na calcinha, nem chega perto do alvo certo. E os vilões, nem atirar sabem.

Mas, não posso deixar de ressaltar que o filme constrói uma introdução perfeitamente bem, principalmente envolvendo a família, onde demonstrar a realidade da boa vida deles, não se torna forçado e sim essencial para o que ocorre depois. Emociona com a melhor cena do filme: a do hospital. Enquanto a câmera se afasta, mais a cena se aproxima do espectador. Além de uma trilha sonora eficiente e uns jogos de câmeras ágeis, assim como algumas criativas cenas.

A cena final é boa, mas neutra. Talvez, ficaria memorável um quadro da mesma. Assim, ‘’Sentença de morte’’ começa excelente, desenvolve de modo incoerente e às vezes exagerado, e finaliza de modo regular. O filme oscila, assim como Kevin bacon, como Tyler, como a arma utilizada por Nick no final, pois ora arranca pernas ora apenas um furo. Oscila como nós, vivendo de bons e maus momentos.

.

.

.

Cotação: ³ ³ ( Filme regular)


Onde encontrá-lo: Em todas as locadoras.

1 Response to "Sentença de Morte (Death sentence)"

  1. Vi seu texto na comunidade e gostei, achei muito bom! Gostei também do blog. Ainda não tive oportunidade de ver esse filme mas tem uma ideia legal, quero vê-lo!

    http://portalcine.blogger.com.br

Powered by Blogger