"... Mundo das influências"

Numa época em que todos nós sabemos que falta originalidade em Hollywood e assim sobram “Remakes” e seqüências desnecessárias, detectamos histórias atuais que nos remetem a lembranças de obras antigas. Porem, isso não chega a ser uma completa falta de criatividade nas cabeças dos roteiristas de hoje, quando seus trabalhos surtem efeitos não muito diferentes de longas elaborados há décadas atrás.

Para quem viu “Os Inocentes” (The Innocents 1961) e “Os Outros” ( The Others 2001), independente da ordem, há de se reparar a forte semelhança entre ambos, mas não deixando de admirar onde cada um cresce e se tornam Obra-prima (Como “Os Inocentes”) ou trabalhos memoráveis que chegam próximos a perfeição (Como “Os Outros”)



Os Inocentes ( The Innocents 1961)

Uma das razões mais fortes do medo é o desconhecido e a incerteza. Com base na história de Henry James, o diretor Jack Clayton faz uma completa utilização da câmera para transmitir o horror, um profundo e ambíguo uso do roteiro em seus personagens aparentemente angelicais, mas que nos deixam intrigados por serem os pivôs das causas incertas que nos remete ao receio.
.
Deborah Kerr simplesmente não atua, mas incorpora uma figura que tenta ser perfeccionista ao máximo para cumprir a árduo papel de cuidar de duas crianças, Martin Stephens e Pamela Franklin , que cravam uma das melhores atuações mirins, na história do cinema. Ambos têm que passar uma impressão de inocência, mas também atuar como seres dispostos para o mal. Fantástico!
.
Ainda que o drama psicológico nos estarreça, “Os inocentes” contem fatores fortes para um longa verdadeiramente de horror: trilha sonora aterradora, fantasmas em efeitos equilibrados ou praticamente nulos, além do clima anti-natural que cresce a cada segundo de seu decorrer.

Obra-prima!

Cotação: ロロロロロ( Filme Excelente)


Os Outros (The Others - 2001)
Alejandro Amenabar não precisou de muito: três protagonistas, uma casa e um mistério. O suspense cerca a incerteza e a incompreensão, tanto a nossa quanto a de seus respectivos personagens, além de não dar confiança ao gore, violência e efeitos especiais para nos deixar horrorizados lançando uma curva chocante, fazendo nos repensar em tudo que passou.
.
Com um roteiro bem delineado pelo próprio diretor e com uma brilhante atuação de Nicole Kidman (saudades daquela época, em relação à atriz), Alejandro deixa tudo mais significativo, assim não deixando nada ao acaso. “Os Outros” nos mantém, literalmente, no escuro, dessa maneira apoiando ainda mais a relação do espectador e o interior do filme, ainda que por vezes contenha "cenas" previsíveis.
.
Embora não seja exatamente uma obra-prima, “The Others” pode ser considerada uma jóia surpreendente que você pode encontrar em um ano em que um gênero ficava cada vez mais cansado. Sendo assim, é um horror moderno com um toque antiquado, com base no suspense para gerar medo.
.
.
Cotação: ロロロロ (Filme òtimo)

11 Response to ""... Mundo das influências""

  1. Amigo, é dificil ver algo extremamente original, sempre é mutavel ... a diferença será de como é contado essa história. Pode ser previsivel até dizer chega, com uma atriz extremamente péssima e a sensação falsa de susto ... com alguem competente e sabendo fazer a diferença ... as influencias se tornam momentos decisivos para o sucesso ... ou o fracasso ...

    abraços

    Alyson, não sei se você deve saber, mas "Os Outros" é o meu filme predileto de todos os tempos. O que pude extrair do texto de Amenábar vai muito além do que um mero filme suspicaz, pois o seu conteúdo é capaz de levantar questões intrigantes, como o fim da existência do ser humano.

    Já "Os Inocentes" é um grande clássico do gênero, mas sua narrativa não propõe a mesma discussão que "Os Outros" provoca, ainda que este filme de Amenábar se deixe influênciar em algumas ocasiões pelo filme estrelado pela Deborah Kerr.

    Abraço.

    Eu achei Os Outros excelentes... que pra mim é um dos melhores filmes do gênero que já vi! Fantástico!

    É aquela história na natureza nada se cria, tudo se transforma.

    Vi Os Outros e gostei muito, mas ainda não tive oportunidade de conhecer Os Inocentes. Seu texto me deixou bem curiosa!

    Não conheço Os Inocentes (e pelo clima que você deixa claro no seu post, parece ser um filmaço!). Já Os Outros, vi no cinema e achei espetacular. O clima opressor da casa envolve o público por toda a projeção e Amenábar entrega uma produção segura e muito bem cuidada. Vale sempre como recomendação!

    Mídia? Cultura? Acesse:
    http://robertoqueiroz.wordpress.com

    Conocordo plenamente quando vc diz que sente saudades daquele tempo em relação a Nicole Kidman, fazer Os Outros, Moulin Rouge e As Horas seguidamente parecia que ela iria arrebentar em todos os filmes pelo resto da carreira, mas parou por aí.
    Eu e todos os cinéfilos que temos nicole kidman como atriz preferida temos que admitir que ela está devendo uma boa atuação, mas Austrália vem aí e eu estou confiante que sairá um belíssimo resultado...assim espero
    Parabéns pela crítica!!!!

    Kamila says:

    "Os Outros" é um dos meus filmes de suspense favoritos. Adoro a atmosfera criada pelo Amenábar, a solução inteligente para o final, as atuações.

    Ainda não assisti "Os Inocentes", mas seu texto me deixou curiosa para conferir a obra.

    Brenno, aí eu já discordo! Não podemos nos esquecer de "Reencarnação", "Dogville", "Margot e o Casamento", "A Pele"...

    Wally says:

    Não assisti a este "O Inocente". Agora, "Os Outros" é fantástico. O filme parece uma pintura em movimento. E tudo é conduzido de uma forma sublime. Além de ter uma puta atuação de Nicole.

    Acho que eu arriscaria 5 estrelas.

    Ciao!

    Jacques says:

    Na linha de O Sexto Sentido, acho esse superior pois fica restrito a um só ambiente, criando um clima surpreendente e ajudoado, obviamente por Nicole Kidman. Bom filme. Acicionei-o em meu blog. T+

    Nossa cara, só filmaço hein !

    ironia é a alma do negócio

Powered by Blogger