Evil - Raizes do Mal (Ondskan - 2004 )


Na Suécia, a política predomina o sistema monárquico constitucional parlamentarista, ou seja, onde há o predomínio do parlamento nos negócios públicos, porem com um limite dado por uma certa constituição. Erik Ponti (Andreas Wilson) é fisicamente castigado por seu pai dia-a-dia e participante de brigas extremamente violentas em uma escola estadual. Por esses comportamentos “D”, o garoto de 16 anos é transferido para Stjärnberg , um famoso colégio privado, onde tem o intuito de deixar essa veemência ativa de lado, porém mal sabe ele que a violência estará ao seu redor de maneira injusta e fria.

Antes de tudo, o diretor Mikael Håfström ( 1408 ) nos coloca em uma situação curiosa: o mesmo menino que apanha severamente de seu pai, espanca impiedosamente um adolescente, até deixá-lo com o rosto irreconhecível. Portanto, de quem ter compaixão? Porém, o personagem Erik , interpretado por Andreas Wilson que desempenha da maneira mais convincente possível e não há qualquer razão para duvidarmos de sua capacidade e de que pode ir muito além, coloca a paciência em primeiro lugar depois de ser transferido , mas que não perde a ira para ao menos tentar reverter toda a frieza e desumanidade que habita aquele colégio.

Da parte técnica não há o que se queixar. Com uma trilha sonora que reserva espaço ao Rock dos anos 70 , principalmente com citações a Elvis Presley , Håfström ainda utiliza musicas locais e feitas exclusivamente para o longa. Além de câmeras acompanhantes e focos planeares, ambos em movimentos padronizados.

“Evil- Raízes do mal” têm o seguinte defeito: o desfecho seco. Durante boa porcentagem do desenvolvimento do filme sentimos toda a profundidade e substância que esperávamos depois dos primeiros minutos de duração, mas Mikael diminui a perspicácia que nos adentrava. Fazendo assim, um final insípido, mesmo terminando de uma maneira acessível.

Mesmo deixando de obter um epilogo “Powerfull”, esse filme ( candidato ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2004) nos deixa estagnados assistindo a uma transformação dolorosa do personagem e ainda com um gosto de esperança na ponta da língua.
.
.
.
Cotação : ロロロ+ (Filme muito bom)

7 Response to "Evil - Raizes do Mal (Ondskan - 2004 )"

  1. Wally says:

    Muito bom esse filme. A análise sobre a juventude e sobre a violência, além do conformismo, é exemplar e certeira. Merecido da indicação ao Oscar.

    4 estrelas

    Ciao!

    Melhor filme do diretor até o momento, já que seus outros filmes que vi são apenas medianos (Fora de Rumo e 1408). Esse realmente é um bom filme e merece ser visto.

    Kamila says:

    Já tinha lido sobre este filme no blog do Ibertson e seu texto confirma a sensação que tenho de que "Evil" é até um bom filme! Espero poder assistir ao longa um dia.

    Anônimo says:

    Alyson,
    Estou à procura de um crítico de cinema para participar de um projeto de TCC de um programa de rádio sobre trilhas sonoras cinematográficas. Gostei de seus textos, e gostaria de saber em que cidade está!Se puder, entre em contato para que eu te passe mais informações, OK!
    Thais
    (thaishsol@gmail.com)

    Alyson, um amigo virtual, ao qual conheci pessoalmente neste último domingo, me falou muito bem deste filme ao vê-lo no sábado passado. É bom que, por certa coincidência, você tenha postado uma crítica bem positiva sobre ele. Apesar de detestar com todas as minhas forças essa sua fase no mercado americano, “Evil” é um filme que tenho muita vontade de ver e que deve nos mostrar o verdadeiro talento de Mikael Hafström. Se a minha memória não está falhando, ele também fez um filme chamado “A Maldição do Lago” - você já o viu?

    THAIS: Te respondi por email. Mas, caso não chegue, pode me adicionar no msn , pois tenho interesse em saber do que se trata.
    ( alysonbasket@hotmail.com) E agradeço pela atenção!

    ALEX: "A Maldição do lago" eu nunca cheguei a ver não! Mas, este, com certeza, é o melhor filme do Mikael. Abraço!

    Não vi, porque não tive oportunidade... mas quem sabe..

Powered by Blogger