Toys e o Tempo


Toy Story 3 (2010)

Somos brinquedos do tempo: os dias passam e somos gastos por eles. Não somos nós quem consumimos o dia após dia, mas sim o contrário. Podemos se locomover, ter rostos simpáticos, características de super heróis e fazermos inúmeras atitudes para não sermos um brinquedo a ser esquecido, mas o tempo é imparcial e um dia ficaremos dentro de um baú e esse tempo passará a gastar a memória, na cabeça de quem fica para o lado de fora.

Carisma e identidade foram algo que a série Toy Story conseguiu desde seu primeiro minuto de filme há quinze anos e isso foi se aflorando a cada seqüência, mas ao sabermos que esse pode ser o fim da série e ao acompanharmos a situação em que os brinquedos vão ficando em relação ao seu dono, chegamos à conclusão drástica de que tivemos uma vida mágica começada em 95, chegando ao ápice em 1999 e tendo o fim neste ano. Mas, a produção pode morrer feliz sabendo que fez seu papel no mundo cinematográfico em deixar um exemplo de como construir grandiosidades através da simplicidade encantadora vista nessa animação que é, sem dúvidas, uma obra de arte e não uma obra necessariamente comercial.

Os personagens humanos são em tempo real, mais precisamente a representação do passar dos dias, o que acaba se tornando uma relação do filme com o espectador. Andy, o dono dos brinquedos, agora tem dezessete anos e vai para a faculdade. Seus brinquedos negligenciados seqüestram seu celular em uma manobra para recuperar a sua atenção e atraí-lo de volta para sua caixa de armazenamento. Mas Andy está deixando de lado as coisas infantis, porém o que menos queremos ao assistir a animação é deixar toda a aura infantil de lado e é daqui que parte a tensão do longa.

O premiado Michael Arndt ("Pequena Miss Sunshine"), acaba por homenagear o modelo padrão da Pixar e estende-se aos temas anteriores dos "Toy Stories". Como todos os filmes da Pixar, isso gera um atrito entre o lúdico humor e os temas sérios. Toda história gira em torno de questões da infância e agora da separação em que o adulto precisa encontrar uma identidade significativa e deixar até aquilo que um dia representou a sua vida, de lado. O que torna o estúdio Pixar o melhor do mundo é a sua dedicação às histórias meticulosamente. Esses dilemas dramáticos lá nas sombras enlaçam as nossas emoções, fazendo-nos prender o fôlego quando eles estão em perigo e aplaudir quando eles fazem algo inteligente.

O filme deixará saudades por fazer de seus bonecos uma espécie de amigos íntimos dos espectadores, deixando uma marca em nossos corações que depois se transforma num sentimento de saudades que aguça mais e mais enquanto o filme se aproxima de sua despedida. A intimidade que as figuras têm com o espectador é impressionante, como se nos apegássemos a amigos que moram muito longe e os vemos poucas vezes no ano. A ocasião de nos sentirmos tão próximos dos personagens é nítida desde o principio por nos incomodarmos com os “toys” presos no Baú. Portanto, se alguma lágrima vier a cair não será exatamente por algo intrínseco a narrativa, porém mais precisamente por aquilo que o filme deixou em nós e só irá voltar ao ponto de erupção em nossas lembranças.

Em relação às referências das figuras, há momentos soberbos como Mr. Potato que acaba virando uma tortilha, Buzz como um autentico espanhol em que a direção é certeira em colocar esse momento próxima ao desfecho, para quebrar a linha tensa que permanecia - Barbie é construída através de fundamentos bem naturais, trazendo uma filosofia bem interessante sobre o comportamento justo. Como sempre, os detalhes da produção são impecáveis.

Particularmente, não me sinto na vontade de falar da fenomenal estética que diz muita coisa em relação à perfeição vista no roteiro, assim como a trilha sonora, mas escrevo com o coração de criança por tirar tanta abstração de algo que aparentemente nem tem tanta ambição emocional e principalmente didática, mas acaba por despertar sentimentos e nos ensinar muita coisa, diante de tanta sutileza. Na verdade, acho que esse sentimento não nasce em mim justamente pelo poder subjetivo da obra, que faz dos seus personagens e de sua técnica visual algo que já confiávamos, mas que explode um turbilhão de sentimentalidade.

A obra acaba por ter um quociente de maior humor, teoricamente, mas a Pixar deleita o filme em um nível mais profundo. "Toy Story 3", acrescenta um fio de tensão com a ameaça de que os brinquedos podem morrer a qualquer momento (aliás, é um suposto fechamento da franquia) . O filme encontra momentos de emoção honesta dentro de suas perspectivas, pois a franquia e seus personagens acabam por se tornarem carne e padecerem diante da fatalidade, trazendo os brinquedos de cara com uma trituradora de reciclagem monstruosa, e isso pode ser esmagador para os mais novos telespectadores. Mas, se isso soa como coisas pesadas, não são, pois a obra atinge mesmo são as pessoas que cresceram junto com Andy nesses quinze anos e com certeza agora já fazem parte das memórias que ficam para o lado de fora do baú.

.

.

(Filme Excelente)

19 Response to "Toys e o Tempo"

  1. SIMPLESMENTE ÚNICO!

    Saí emocionado e contagiado pelo ritmo, roteiro e produção do filme - como pôde ser tão perfeitinho? sim, Toy Story 3 consegue ser mais criativo e mais humano que os dois primeiros, sem dúvida coloca no chinelo as chatices repetitivas de Shrek e é mais digno, prazeroso e mais legal que outras animações por aí.

    Achei muito bom mesmo a maneira como coloca a questão dos brinquedos - buscam, mais que tudo, o afeto dos humanos; querem atenção e não querem ser esquecidos jamais pelos seus donos - estes, inevitavelmente, crescem e tem que lidar com escolhas também.

    O roteiro é muito bem dosado - é mais ousado na parte de delinear detalhes da vida e motivação do urso roxo...da forma como recria os diálogos e entrosamento de Woody e cia; da maneira como toca em nós nas cenas finais de Andy despedindo-se dos brinquedos...na maneira como a ação se desenrola com o humor...nunca ri tanto e, confesso aqui, que chorei no final...me arrepiei sim...e saí apaixonado!


    Fiquei feliz mesmo! Toy Story fez parte de minha infancia, e pelo visto será definitivo pra toda vida!

    Ótimo teu texto, concordo plenamente!!!!

    Acredita que não assisti nenhum dos tres filmes da trilogia? rsrsrs..todo mundo me fala do Toy Story e eu nem consigo desenvolver uma discussão...mas sua descrição é muito boa..senti mais vontade ainda de correr e fazer uma sessão tripla pra compensar o tempo perdido...obrigado pelo texto...ótimo!!

    Abrs

    Infelizmente não vi ainda Toy Story 3, mas imagino que deve ser um ótimo filme, pois estamos tratando de um ótimo estúdio e ótimos personagens.

    Vitor Silos
    www.volverumfilme.blogspot.com

    CRIS,Valeu! realmente é tudo perfeito, por mais que os olhos tendem a achar algum defeito, mas não há! Abraços!

    GUI, Valeu, cara! Po, corre pra ver os filmes sim! São excelentes! Abraço!

    VITOR, Eu tbm não esperava outra coisa a não ser a perfeição que é!Abraço!

    Até o momento o melhor filme do ano, e como eu gostei muito, parece que vai ser dificl superar o mesmo! Toy Story 3 é uma OBRA-PRIMA!

    Cleber, o melhor do ano eu ainda não considero. Espero de umas obras ainda, mas entre esse e Ilha do Medo, eu ainda prefiro Martin. Abraço!

    Gostei dos brinquedos falarem por si, rs!

    Uma obra incontestável da Pixar. O melhor estúdio de animação em atividade e que se preocupa em humanizar seus personagens.

    Abs,
    Rodrigo

    RODRIGO, Isso! Eles humanizam bastante os personagens, só que é interessante ver que a humanização acaba por tornar-se uma utopia ou algo muito além do que o humano realmente é. Abraço!

    Mais um belo texto, Alyson. Parabéns!

    Eu assisti "Toy Story 3" já duas vezes (e verei ainda muitas outras). Chorei e gargalhei, uma verdadeira montanha russa de emoções, não foram todos os filmes que me fizeram chegar ao extremo como esse, por isso não ouso escrever sobre este filme, já que tenho medo de o texto ser "injusto" com o filme, sem falar que não encontro demérito algum. Eu não sei como a Pixar consegue, filhos da mãe! rs

    E "Toy Story" criou o meu caráter, assistia aos filmes anteriores quase diariamente quando criança. E acompanhar o destino de meus queridos amigos de infância é um momento belíssimo, único e que jamais vou esquecer.

    mais que um filme, a trilogia "Toy Story" é uma experiência. Para mim, foi muito bom porque eu ainda era criança quando vi os dois primeiros filmes e segui o tempo "cronologicamente", mas recomendo a todos que não tiveram a mesma sorte que eu que vão tirar o atraso o mais rápido que puderem.

    Sério, não estou exagerando, mas faltam palavras para expressar o meu apreço e admiração pelas produções que esse estúdio específico tem beneficiado o campo das animações e o cinema como um todo.

    Fantásticos, acho que eles tem crédito comigo eternamente =D


    ABS!

    Eu adorei seu texto, você escreve de uma forma tão natural. Ainda não tive a oportunidade de ver Toy Story 3 e vou te confessar que cresci com Andy também (no mesmo ano que ele foi pra faculdade eu também fui). Adorei mesmo sua resenha e vou procurar conferir o quanto antes Toy story 3. Seuindo o blog.

    Ainda não assisti o filme e não estava mais empolgado para ver. Mas depois que li esse texto e o comentário do Cristiano Contreiras, mudei de idéia! Não vou deixar de completar uma jornada pessoal que começou na minha infância! Seria o mesmo que esquecer meus brinquedos num baú..rs!
    Vou ao cinema assistir o filme e volto aqui para comentá-lo com você!
    Obrigado!

    ELTON, Entendo perfeitamente a sua empolgação em relação ao filmes! Rs! É muito boa essa sensação que nos adrenta após vermos uma obra que nos causa realmente uma ruptura. Abraços!
    .
    MIRELLA, Muito obrigado! Veja sim! Seguindo-te também! Beijos!
    .
    SANDRO, não cometa esse pecado cinematográfico! uauah' Veja sim! Abraço!

    Wally says:

    Bom demais, né? Vi três vezes e veria mais. Apaixonante.

    WALLY, sem dúvidas!
    Abraço!

    mik says:

    TDOS OS COMENTARIOS TEM ALGO EM COMUM QUE EU ACHO MTO DIFICIL ESCAPAR PORISSO TENHU QUE DIZER: QUE PERFEIÇÃO... TOY STORY NOS EMOCIONA MSM... E QUE BELISSIMO TEXTO QUE CONTRIBUI AINDA MAIS...E ESSA QUESTÃO DO TEMPO A QUE VC SE REFERE EU CONCORDO PLENAMENTE, É ENGRAÇADO COMO TD ISSO ACONTECE E NÃO NOS DAMOS CONTA ACHAMOS QUE TD É ETERNO...
    BJOS
    E MAIS UMA VEZ ALYSON BELISSIMO TEXTO!!!!!!!!!!

    Ana Paula says:

    Eu amei esse filme!O melhor animado do ano e um dos melhores da Pixar!

    http://alemdoentretenimento.blogspot.com/

    MIK, Obrigado! E sim, cinema trás muito um reflexo social e particular para nós. Beijos!

    ANA PAULA, realmente! No ano,acho que ninguem ultrapassa mesmo. Beijos!

    O melhor filme do ano. Um união perfeita entre emoção e diversão. A vida que toda criança quis dar ao seu brinquedo foi feita com mais perfeição nesse 3º longa. Chorei feito um bobão. hehehe

    Abraços

    BRENNO, ainda eu não acho definitivamente o melhor do ano, mas é uma obra marcante, realmente. Abraço!

Powered by Blogger