Um Filme Antigo...


Louca Obsessão (1990)



Para não ir muito longe, em “O Nevoeiro” o verdadeiro monstro chama-se Márcia Gay Hardem. Em “Janela secreta” a atormentação está na carne de John Turturro. Já há quase duas décadas atrás o martírio em pessoa estava à responsabilidade de uma Kathy Bates. Como toda narrativa de King, há um personagem de caráter extremamente imprudente - mesmo que essa figura às vezes seja um mero quarto de hotel -, necessita-se de uma atuação que realmente incorpore a aura ambígua de suas personalidades e é claro que Bates teve capacidade para ir além.

Os méritos da alta qualidade dessa adaptação não ficam apenas pela vencedora do Oscar de 1991, pois Rob Reiner além de ser competente na direção de seus “bonecos” e de usar a opção da câmera alternativa mostrando o ambiente por fora do quarto, para não deixar que o espectador se canse pelo começo do filme passar-se em apenas um lugar, ainda possui convenções que, por vezes, lembra a fotografia de Hitchcock em “Festim Diabólico”, principalmente se observarmos as posições dos personagens centralizados nos cenários teatrais ou a trilha sonora tão forte como a de “Psicose” ou clássica como a de “Janela Indiscreta”, onde podemos destacar a antologia da música usada na cena da marreta (que, para quem não sabe, é diferente do livro, onde é usado outro objeto).

Todavia, Reiner é obrigado a ampliar o espaço de utilização para seus personagens, deixando a tensão fluir ainda mais quando a defesa física e mental de Paul começa a fazer parte da história (principalmente na primeira vez em que ele deixa o quarto). James Cann tem como merecimento por desenvolver-se bem em todas as funções limitadas de sua figura e também por não deixar-se apagar diante de Kathy Bates, que em apenas um olhar vê-se um amontoado de sentimentos, seja para o “bem” ou para o mal. Além de chegar ao ápice pela exigência física do roteiro junto com as falas enérgicas e ligeiras do mesmo e a sua loucura inerente. Típica de King.

Mais uma demonstração de que, quando adaptações kingnianas são estreladas, resultam em obras marcantes. Pode não ser um filme antigo, mas possui uma aura totalmente antiquada e assim clássica.


(Filme Ótimo)


11 Response to "Um Filme Antigo..."

  1. Este é um filme aterrorizante, impacto e até hoje se mantém como ótimo suspense dramático.

    A atuação de Bates é algo soberbo, intenso e é puro medo! Ela concebeu uma das melhores atuações da História do Cinema.

    Um ótimo filme, sim!

    Prefiro ele ao livro, acredite.

    abraço!

    Hey Alyson!
    Eu sempre tecia comparações entre "Louca Obsessão" e clássicos do Hitchcock. É perceptível o rigor narrativo de Rob Reiner para fazer de seu (melhor) filme uma produção que exale uma atmosfera mais antiga e "de clássico". Acho ele muito bem sucedido nesse quesito.

    E o filme é excelente, gosto muito. Kathy Bates entrou pra história como uma das maiores vilãs do cinema; adoro a duabilidade de seu perfil incontante. James Caan faz o que pode com um monstro em cena, mas também destaco o ótimo alívio cômico do excepcional Richard Farnsworth.


    abs!

    Wally says:

    Muito bom esse filme. Desempenho monstruoso de Kathy Bates. Uma das minhas adaptações preferidas de King. [****]

    Wally says:

    Último comentário foi meu o/

    Fazer o que, não encontro o filme!

    Muito legal o seu blog. Estou te seguindo.
    Abraços,
    Léo

    Não conhecia!

    leo says:

    Acho esse filme INCRÍVEL e a atuação da Kathy Bates é incrivelmente assustadora,pena que hoje em dia Bates é constantemente usada como coadjuvante.
    abraços

    Nunca vi esse filme, mas me despertou interesse agora! Vou procurar, rs.

    Beijos querido! :)
    Estou seguindo, adorei aqui.

    Nunca mais a Kathy Bates fez nada que chegasse perto de Louca Obsessão (o que é uma pena!). Filmaço! Bem a cara do universo que o Stephen King gosta de criar.

    Cultura? O lugar é aqui:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    Pode ser que essa adaptação cinematográfica de um filme do King seja boa (ainda não assisti), mas excetuando O Iluminado (o de 1980), Conta Comigo (que é lindo e nao tem nada a ver com terror) e A Espera de Um Milagre, todas as outras tentativas, para mim, não conseguem transmitir na tela nem 1/3 daquilo que o escritor busca em seus livros. Dessas tentativas frustradas, cito Carrie, Rose Red, Fim dos Tempos, 1408, O Apanhador de Sonhos, O Iluminado (1997) e O Nevoeiro....

    Abrs

Powered by Blogger